quinta-feira, 7 de maio de 2009

Alerj põe Cedae contra a parede

CEDAE E AMPLA FARÃO RELATÓRIO SOBRE FALTA DE ÁGUA EM RIO DAS OSTRAS


A Comissão de Saneamento Ambiental da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro quer que a Companhia de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) e a concessionária Ampla, responsável pelo fornecimento de energia elétrica em diversas partes do estado, enviem à Alerj um relatório contendo todas as ações que estão realizando para resolver o problema de abastecimento de água em Rio das Ostras, na região das Baixadas Litorâneas. O presidente da comissão, deputado Domingos Brazão (PMDB), fez o pedido a representantes das duas instituições que, nesta terça-feira (05/05), participaram de uma audiência pública no Palácio Tiradentes. “A Cedae informou que já consertou as bombas, que o reservatório (a Estação de Tratamento de Água de Rio Dourado) já está fornecendo 280 mil litros e que vai aumentar a quantidade de água para o abastecimento local. Vou estudar o levantamento destas soluções para confirmar se as medidas foram realmente efetuadas. Caso não, poderemos até tomar atitudes mais drásticas, como o encaminhamento de uma denúncia ao Ministério Público”, afirmou o parlamentar.

Tendo em vista as reclamações da comissão dando conta de que ambos os serviços andam precários, Guilherme Brasil, representante da Ampla, sugeriu também a formação de um Grupo de Trabalho com membros da Ampla e da Cedae. “Podemos montar um grupo para discutir os serviços prestados para agirmos com mais eficácia”, disse Brasil. O presidente da Cedae, Wagner Victer, também presente na audiência, concordou com a criação deste grupo. “Não se pode negar que Rio das Ostras é um fenômeno de crescimento populacional e industrial, o que fez com que o consumo de água e energia elétrica aumentasse. Temos que acompanhar este desenvolvimento”, destacou Victer, argumentando que o abastecimento de água em Rio das Ostras foi interrompido por causa de problemas de energia, o que comprometeu o funcionamento das bombas d’água. “A Cedae alega que não consegue prestar seu serviço por problemas da Ampla. O que não pode acontecer é uma ficar culpando a outra. O povo é que sai penalizado”, sublinhou o peemedebista Brazão.

Representante da Diretoria Técnica da Ampla, Fábio Fonseca explicou que o fornecimento de energia foi prejudicado por 14 horas entre os dias 19 e 20 de fevereiro devido a uma árvore que caiu e rompeu os condutores em um ponto do circuito que alimenta a Estação de Bombeamento e Tratamento da Cedae da região. De acordo com ele, a árvore estava dentro de uma propriedade privada, e o dono não deixou a equipe da Ampla entrar, o que dificultou a retomada dos serviços. “Para evitar este tipo de contratempo, vamos instalar uma ‘chave de manobra’ de um circuito para o outro. Assim, quando acontecerem problemas tipo o que também ocorreu entre os dias 29 e 30 de março, quando atiraram um vergalhão em outro ponto do circuito, poderemos passar o fornecimento para um ponto diferente”, explicou.

Membro da comissão e ex-prefeito de Rio das Ostras, o deputado Sabino (PSC) criticou a falta de transparência da concessionária Ampla. “Quando fui prefeito, não tinha nenhum poder de fiscalização sobre as obras da empresa. Se desejava iluminar algum bairro, a Ampla emitia um orçamento e ela mesma contratava as empresas para prestarem o serviço. Por esse motivo, passava para as mãos dela o controle absoluto da obra”, ressaltou o parlamentar. Participaram também da audiência os deputados Jodenir Soares (PTdoB) e Paulo Ramos (PDT), além de Cláudia Guimarães e Fábio Luiz Araújo, representantes comerciais da Ampla.

Fonte: Alerj (em 5/5/2009)

9 comentários:

  1. O abastecimento d'água na Região dos Lagos é um problema de décadas. Desde garoto, nos anos 80, ouço falar de falta d'água nas cidades da Região. A Cedae só não resolveu até agora porque não quer e devido á omissão do Poder Público, seja Prefeitura ou Governo do Estado.

    Ass: Carlos Constantino Ferreira

    ResponderExcluir
  2. Mas como demorou para a ALERJ tomar uma atitude! Mas não adianta ficar só no blá-blá-blá! Tem que agir, processar e acabar com a incompetência da CEDAE! Como disse o Carlos, isso é um problema de décadas!

    ResponderExcluir
  3. Falta vontade política da Cedae, da Ampla e dos deputados. Duvido que a Cedae e a Ampla cobrem barato em Rio das Ostras...

    ResponderExcluir
  4. A Cedae é um lixo!

    ResponderExcluir
  5. Quer dizer que como a cidade cresceu a Cedae não tem como dar conta? As cidades do estado do Rio agora têm que crescer no ritmo que a Cedae aguenta?
    Alexandre Goulart

    ResponderExcluir
  6. Sinceramente, parei de ir a Região dos Lagos nos últimos anos justamente por causa desse problema de abastecimento de água. É triste.

    ResponderExcluir
  7. Será que dessa vez resolvem esse problema eterno de falta dágua em Iguaba e Araruama?

    ResponderExcluir
  8. Não podemos nos calar diante da omissão destas empresas concessionárias de serviços públicos ou de qualquer outra. As ruas e a internet estão aí. Vamos denunciar caso não atendam as nossas necessidades.

    ResponderExcluir
  9. Tenho casa em Rio das Ostras, bairro, Cidade Beira Mar, quase nem vou lá devido ao fraco abastecimento de água, não tem força para subir na caixa localizada a 3ms de altura sem bomba; agora na hora de cobrar na conta o valor é bem alto em relação ao serviço prestado.
    Quem vai dar uma solução a este caso?

    ResponderExcluir